Fecho das termas e pandemia matam negócios em Monte Real

Motor económico da vila, as termas de Monte Real encerraram há sete anos quebrando todos os negócios que delas dependiam. A pandemia leva agora o resto da esperança e, para muitas unidades hoteleiras, fechar portas é a única opção.

fecho-das-termas-e-pandemia-matam-negocios-em-monte-real

Quase nada resta do tempo em que os passeios eram demasiado pequenos para acolher os muitos turistas que formigavam pela vila de Monte Real.

Até fecharem, em 2014, as termas faziam pulsar não só os hotéis, mas também os restaurantes, os cafés e todo o pequeno comércio local, que autenticamente gravitava à sua volta.

Se o encerramento das termas já tinha deixado a vila a meio gás, a chegada da pandemia, com dois confinamentos a acontecer num curto espaço de tempo, fez desmoronar os negócios que teimavam em subsistir.

Monte Real tem agora grande parte das suas unidades hoteleiras à venda e há uma vila que não sabe como se reerguer sem o gancho do termalismo.

Hotéis novos ou antigos, quase todos para vender

Antigo hotel de Monte Real, fundado em 1974, um estabelecimento de duas estrelas e 26 quartos, que está à venda por 530 mil euros.

 

O Santa Rita, hotel icónico da vila, unidade de duas estrelas com 80 camas, também está à venda por 1,6 milhões de euros.

No site da Imovirtual, somam-se os hotéis de Monte Real que estão à procura de novo proprietário, sejam eles novos ou antigos, já encerrados ou em atividade.

No mercado, com preço sob consulta, encontramos o Peninsular, um hotel três estrelas com 57 quartos e três suites, que se mantém em funcionamento.

À venda como nova e no ativo, também com preço sob consulta, está ainda outra unidade hoteleira, de quatro estrelas, composta por villas/apartamentos, bungalows e quartos, integrada num complexo com muitas comodidades, entre as quais piscina, jacuzzi e sala para jorkyball.

Com suites, quartos e restaurante, mas já desativado e a carecer de restauro está outro antigo hotel, situado no centro de Monte Real, à venda por 180 mil euros.

Joaquim Vitorino, responsável pelo Rainha Santa e também presidente da Associação de Turismo de Monte Real, explica que, entre os nove hotéis e pensões que subsistem, apenas três confirmaram que irão reabrir portas no dia 1 de Junho, indicador que traduz a situação limite a que chegaram.

Partilhe
error20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *