Análises à água do Coletor da Aroeira confirmam inexistência de condições para banhos

Análises pedidas pela União de Freguesias de Monte Redondo e Carreira identificaram presença de coliformes na água. Os banhos já eram proibidos no local.

Os banhos no coletor do rio da Aroeira, um afluente do rio Lis situado na União de Freguesias de Monte Redondo e Carreira (UFMRC), em Leiria, já estavam proibidos e, após análises realizadas à água, confirmou-se a presença de bactérias coliformes na água e a falta de condições para a prática balnear, informou hoje a autarquia.

Numa publicação no Facebook da UFMRC, a presidente da união de freguesias, Céline Gaspar, informa que a Agência Portuguesa do Ambiente “impôs a colocação da informação ‘Zona Não Classificada para Banhos’ junto aos tanques do Coletor da Aroeira”, onde já estava interdita a prática balnear.

“A zona não está classificada para banhos e, segundo esta autoridade, não deve ser usada para esta atividade considerando o facto da água poder não ter condições de salubridade necessárias para garantir a saúde pública”, avança a autarca.

Análises realizadas à qualidade da água, a pedido da UFMRC, revelaram “a existência de um número elevado de bactérias coliformes, o que significa que a água não tem condições devidas para banhos”.

Na origem da presença da bactérias não está, de acordo com Céline Gaspar, “a existência de descargas fecais nem de químicos”, mas sim “o facto da água estar quase sempre parada”, levando à acumulação de “sujidade que aumenta a quantidade destas bactérias coliformes”.

“Incentivamos a população a utilizar o espaço para fruição da paisagem e para momentos em família, sendo, portanto, desaconselhados e proibidos os banhos no local”, conclui a presidente da UFMRC.

(Notícia retificada às 21h50: a proibição de banhos já existia, a APA impôs apenas a colocação de placas a alertar para a interdição)

Partilhe
error20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *